;
 

O home office como qualidade de vida no trabalho

O home office como qualidade de vida no trabalho

O home office como qualidade de vida no trabalho

Quem nunca sonhou em trabalhar com o que gosta sem precisar sair de casa, não é mesmo? Imagina conseguir proporcionar isso para seus colaboradores. Com o aumento da cultura Home Office, cada vez mais gente se adapta e produz melhor dentro dessa realidade.

E se você está pensando em como implantar no seu negócio e diminuir seus custos, fique por dentro dessas 9 dicas para estabelecer a cultura do Home Office e conseguir retorno confiando na responsabilidade e empenho dos seus colaboradores.

1 – Home Office não é para todos

Entenda que nem toda empresa está preparada e disposta a proporcionar trabalho de forma remota a seus colaboradores, e que algumas funções são incompatíveis com o modelo. Tudo depende da cultura corporativa e do tipo de trabalho a ser realizado.

Um produtor de conteúdo para empresas pode trabalhar até do jardim da Torre Eiffel se ele quiser. Já um bombeiro não apaga incêndios sem sair de casa.

2 – Não misture problemas com trabalho home office

Se você precisar parar o trabalho remoto, tenha certeza de o fazer de forma articulada e com raízes em justificativas claras de negócios. É aqui que entra o desafio de não misturar problemas e escolhas pessoais com o trabalho. Basta pensar como se estivesse em um escritório.

Em alguns casos, recomenda-se até desligar o telefone e não atender a campainha para evitar distrações. Afinal, o funcionário está dedicado ao trabalho.

3 – Estabeleça metas claras

As vantagens do trabalho remoto estão muito bem documentadas: aumento de produtividade, satisfação dos funcionários, menos tempo e dinheiro gasto com transporte, acesso facilitado a clientes e serviços, redução da emissão de carbono e até das despesas do escritório.

No caso de empresas, é preciso deixar claro o que quer ao implementar a cultura Home Office e como ela vai beneficiar a empresa e o colaborador. Isso ajuda a desenvolver métricas e critérios de avaliação para determinar se ele está funcionando.

Em resumo, defina métricas e entregas.

4 – Comece devagar

Mudar para um modelo remoto de trabalho é um grande passo. Mas como diz o ditado: experimente a temperatura da água antes de mergulhar de cabeça.

Criar um programa-teste, com menores proporções, com colaboradores que a empresa tem a capacidade de conversar melhor, ajuda a otimizar os recursos necessários e avaliar se tudo o que precisa ser definido está no lugar.

Assim, fica mais fácil de avaliar aspectos como hardware, software para acesso remoto e a necessidade de treinamento dos funcionários, por exemplo.

5 – Crie normas para o Trabalho Home Office

As políticas de trabalho remoto precisam ser consistentes e bem claras. Por exemplo, devem incluir inputs do setor de RH, do departamento jurídico e até mesmo de sindicatos, se considerar necessário.

Certifique-se de que elas espelham as responsabilidades de empregados e empregadores e que incluem um check-list de equipamentos e recursos necessários para garantir que o trabalho remoto possa ser feito (acesso a internet, equipamento, software de segurança, dispositivos móveis, etc.).

Afinal, qualquer funcionário que solicite trabalho remoto deve entender e concordar com os termos e com as ações disciplinares, para que o trabalho aconteça. E, principalmente, respeitar as horas de trabalho corretamente.

6 – Treine os seus funcionários para o Trabalho Home Office

Educação e treinamento são fatores importantes para o sucesso de um programa de trabalho remoto. Caso não haja instrução, o trabalho pode tomar rumos não muito produtivos.

Assim, o treinamento varia de acordo com a função e a empresa. No entanto, deve orientar o funcionário sobre como ele deve trabalhar em casa: práticas com softwares e recursos, postura de trabalho, rendimento e afins.

7 – Estabeleça práticas de comunicação

Definir regras de interação entre as equipes pode garantir uma transição tranquila, além de ajudar a resolver eventuais crises. Alguns setores necessariamente ficarão na empresa, não podendo atuar de outro lugar. Logo, uma boa prática é criar formas de relacionamento que encurte a distância entre as equipes.

Da mesma forma, vale garantir que quem está fazendo Trabalho Home Office equivalha ao de quem está no escritório. Trabalhar remotamente não é um privilégio meritocrático e não deve ser implementado como tal.

8 – Ensine a separar vida pessoal de trabalho remoto

Trabalhar em casa é um desejo para muita gente, afinal, podemos nos vestir como quisermos, ficar na posição mais confortável ou, às vezes, nem sair da cama, certo?

Esse é o maior erro!

Na verdade, recomenda-se que o Trabalho em Casaesteja em um local tranquilo, longe de distrações. E é importante que o corpo e a mente entendam que é hora de trabalhar.

Se um funcionário que faz trabalho em casa cai em procrastinação, o risco é grande de tudo dar errado.

9 – Resolva os problemas tão logo apareçam

Primeiramente, problemas existem em todos os lugares. Logo, não pense que estará livre deles ao começar com o trabalho em casa. O ponto importante é como você lida com esses problemas, independente de onde apareçam.

Funcionários remotos tendem a imaginar problemas maiores que eles realmente são. Isso porque estão longe do escritório e perdem boa parte do movimento interno e das conversas de corredor.

Conclusão

Como percebemos, não é difícil e é bastante razoável investir em trabalho em casa se for o momento para a sua empresa. Mas é preciso ter regras, treinamentos e confiança para que dê tudo certo na hora de iniciar a sua equipe nessa cultura.

Confira no nosso curso de Departamento Pessoal as regras legais para o Teletrabalho (trabalho remoto) clicando aqui.

Comentar com o Facebook
ceo
CEO - Centro Educacional Online
contato@centroeducacionalonline.com.br

A CEO é uma empresa que atua na área de cursos online, preparatórios para o exame da ANPEC, teste ANPAD, certificações do mercado financeiro, cursos departamento pessoal e cursos da área tributária.



Ver opções
Esconder orções
× Tire suas dúvidas!